sexta-feira, 23 de junho de 2017

Plasticologia Marinha

No dia 9 de junho de 2017, o biólogo marinho Dr. Ricardo, do Oceanário de Lisboa, veio falar-nos da Plasticologia Marinha.
Inicialmente, mostrou-nos imagens para descobrimos uma praia limpa. Ninguém acertou pois pareciam estar limpas mas, na realidade, não estavam.
De seguida, apresentou-nos alguns objetos que tinha encontrado na praia tal como ovos de tubarão e um iogurte vazio.
Alguns momentos depois realizamos jogos. Um deles era tirar lixo de uma caixa com areia e o outro era pescar, com uma pequena rede, as missangas verdes misturadas com outras de várias cores. Este último foi difícil e percebemos que as verdes correspondiam à comida saudável para os peixes e as coloridas ao lixo existente no oceano.
A seguir, explicou-nos que os produtos de higiene eram feitos com plástico e disse-nos como podíamos descobrir nas embalagens se continham plástico ou não.
Este alertou-nos para o perigo dos balões que são prejudiciais tanto no solo como no ar. Contou-nos uma curiosidade: um balão de hélio se rebentar pode matar cerca de cem andorinhas. Também referiu que o lixo mais encontrado na praia é beatas dos cigarros, cotonetes, rolhas de plástico e de vidro.
A certa altura, o Dr. Ricardo apresentou-nos alguns animais em peluche que corresponde aos animais que existem no Oceanário de Lisboa tais como: tartarugas, pinguim-papagaio, peixe-lua e lontra. Estes ingerem grandes quantidades de plástico encontradas nos oceanos provocando a sua extinção.
Ficamos, na nossa mente, com a imagem da ilha de plástico onde um menino foi resgatado por um helicóptero.
Por fim, agradecemos-lhe por termos aprendido tanta coisa importante e sabemos que para protegermos o nosso planeta é preciso reciclar.

"Reciclar e´proteger para melhor viver."

Desenho no Paint – Tiago e Tomás – 4º ano

segunda-feira, 19 de junho de 2017

UMA MANHÃ, UM PROFESSOR DIFERENTE

Num dia esquisito (seria o tempo?... ou dia da Prova de Aferição do 2.º ano?), o senhor Rui tornou-se professor.
Logo, pela manhã, fomos visitar as plantas que tínhamos plantado no Dia da Árvore. A laranjeira encontrava-se bonita e também com uma agradável surpresa pois ficamos a olhar para 4 laranjinhas pequenas. Quisemos dar-lhe um miminho. Então regamos as plantas e depressa a água infiltrou-se. Esperemos que a laranjeira cresça e dê frutos.
Quando o professor Rui estava a retirar as pedras da covinha da planta, observamos que ele desatou a correr pois uma abelha fazia-lhe uma perseguição, até que ele sentiu uma picada e desatou a gritar:
- Ai! Ai! O meu braço!
- Professor, a abelha picou-o? - perguntamos nós.
- Sim, a abelha picou-me.
Pois, as abelhas andavam à nossa volta! Então a dona Ana ofereceu-nos gelo. Tivemos o cuidado de assistir o professor Rui. Felizmente o ferrão da abelha não estava no braço.
No jardim, ainda encontramos framboesas, mas o João insistia em dizer:
- Não, não, isso são amoras!
- João, são framboesas! - dissemos nós.
Enquanto estávamos sentados nas escadas, o professor Rui distribuiu-as por nós.
Depois, acabamos bem a manhã com jogos no recreio e a escrever este texto.


Dia 19 de junho (Prova de Aferição de Português do 2.º ano)

Turma SC2 (1.º e 3.º ano)




quarta-feira, 7 de junho de 2017

MERCADO ANTIGO

Pelo segundo ano consecutivo, o Agrupamento de Escolas de Resende, levou a cabo a iniciativa "Mercado Antigo", com o objetivo de angariar de fundos para auxiliar alunos necessitados.
Deste mercado constava a venda de produtos agrícolas, que os pais generosamente ofereceram.
As crianças e os visitantes, para além da compras, podiam divertir-se com danças e jogos tradicionais.
As barraquinhas do CESC conseguiram perto de 150,00 euros.
Achamos que todos estão de parabéns, pois o principal objetivo foi alcançado.









PRÉMIO DIZ 3 EM REDE

Ainda no dia da Criança a coordenação fez a entrega dos prémios e certificados aos vencedores do concurso Diz 3 em Rede do 3.º e 4.º ano, das Competições Nacionais da Ciência em Rede, organizadas pelo PmatE, da Universidade de Aveiro, no dia 8 de março de 2017. 

3º ano - Inês Vaz
           - José Pedro Rua

4.º ano - Beatriz Rodrigues
            - Rodrigo Cardoso 

Parabéns ao vencedores!

DIA MUNDIAL DA CRIANÇA - PARTE II

No dia 2 de junho, as nossas crianças tiveram mais uma surpresa para comemorarem o dia da Criança.
Pois tivemos o prazer e a alegria de receber a visita dos Idosos do Centro de Dia de S. Romão.
Depois de visitarem todas as salas e de conviverem com as crianças, puderam usufruir de um pequeno lanche.
E ainda trouxeram um presente bem docinho.
Não há dúvida que os "avós" estragam as crianças com miminhos.


DIA MUNDIAL DA CRIANÇA

O CESC comemorou o Dia Mundial da Criança, de uma forma livre e descontraída, nas Casas Brancas, cortesia, que muito agradecemos, do senhor Serafim Ferreira.
As nossas crianças puderam andar e brincar livres pelo magnífico espaço da quinta, contactar com alguns animais e realizar alguns jogos.
Realizou-se ainda um piquenique.
Também tiveram direito, oferta do Município, a balões, pinturas faciais e um gelado.

video

Foi um dia bem divertido como tão bem os alunos do 4.º ano ilustraram.







  • A semente do mundo é a criança.
  • O melhor do mundo são as crianças.
  • O futuro do mundo depende da felicidade das crianças do presente.
  • Hoje todos somos crianças.
  • Não há nada mais puro do que o sorriso de uma criança.
  • Que neste dia libertemos todos um pouco da nossa criança interior.

CURIOSIDADES


  • Sabias que o primeiro Dia Mundial da Criança foi em 1950?
  • Tudo começou logo depois da 2ª Guerra Mundial, em 1945.
    Muitos países da Europa, do Médio Oriente e a China entraram em crise, ou seja, não tinham boas condições de vida.
  • As crianças desses países viviam muito mal porque não havia comida e os pais estavam mais preocupados em voltar à sua vida normal do que com a educação dos filhos. Alguns nem pais tinham!
  • Como não tinham dinheiro, muitos pais tiravam os filhos da escola e punham-nos a trabalhar, às vezes durante muitas horas e a fazer coisas muito duras.
  • Sabias que mais de metade das crianças da Europa não sabia ler nem escrever? E também viviam em péssimas condições para a sua saúde.
  • Em 1946, um grupo de países da ONU (Organização das Nações Unidas) começou a tentar resolver o problema. Foi assim que nasceu a UNICEF.
    para leres sobre esta organização.
  • Mesmo assim, era difícil trabalhar para as crianças, uma vez que nem todos os países do mundo estavam interessados nos direitos da criança.
  • Foi então que, em 1950, a Federação Democrática Internacional das Mulheres propôs às Nações Unidas que se criasse um dia dedicado às crianças de todo o mundo.
  • Este dia foi comemorado pela primeira vez logo a 1 de Junho desse ano!
  • Com a criação deste dia, os estados-membros das Nações Unidas, reconheceram às crianças, independentemente da raça, cor, sexo, religião e origem nacional ou social o direito a:
    - afecto, amor e compreensão;
    - alimentação adequada;
    - cuidados médicos;
    - educação gratuita;
    - protecção contra todas as formas de exploração;
    - crescer num clima de Paz e Fraternidade universais.
  • Sabias que só nove anos depois, em 1959, é que estes direitos das crianças passaram para o papel?
  • A 20 de Novembro desse ano, várias dezenas de países que fazem parte da ONU aprovaram a "Declaração dos Direitos da Criança".
    Trata-se de uma lista de 10 princípios que, se forem cumpridos em todo o lado, podem fazer com que todas crianças do mundo tenham uma vida digna e feliz.
  • Claro que o Dia Mundial da Criança foi muito importante para os direitos das crianças, mas mesmo assim nem sempre são cumpridos.
  • Então, quando a "Declaração" fez 30 anos, em 1989, a ONU também aprovou a "Convenção sobre os Direitos da Criança", que é um documento muito completo (e comprido) com um conjunto de leis para protecção dos mais pequenos (tem 54 artigos!).
    Estão escritos de uma forma mais simples para tu os perceberes melhor.
  • Esta declaração é tão importante que em 1990 se tornou lei internacional!






terça-feira, 16 de maio de 2017

OS NOSSOS ESCRITORES - FAMÍLIA

As famílias

Uma família
é muito importante.
Quando esta unida,
é emocionante.

Todas as famílias
são únicas.
São tão belas
como algumas túnicas.

Numa família
há muitas gerações.
Cada uma delas
começa com paixões.

As famílias são
como uma grande flor.
Quando estão juntas,
são um amor.

Às vezes, se chateiam,
mas desculpam-se
com uma comida
que todos saboreiam.

As famílias são a
coisa mais importante do Universo
e não as podemos trocar,
nem por um verso.


Beatriz SC1- 4º ano

A Família



Ter família é uma benção
que nos da muita alegria.
É bom termos muita gente
que nos faça companhia.
A família é importante,
e devemos respeitar.
Havendo carinho e harmonia
dentro de cada lar.
No mundo há famílias
que passam muito mal
muitas fogem do seu país
e vêem para Portugal.



Filipa Rodrigues SC1